Ínicio » Passear » Conheça as 12 aldeias históricas de Portugal


O circuito começa bem cedo na aldeia de Idanha-a-Velha. Aqui existiu uma cidade de fundação romana, mas tem vestígios de várias ocupações que foi sofrendo, desde os suevos aos muçulmanos. Por pouco tempo que passe nesta aldeia, não pode deixar de visitar o forno comunitário onde ainda hoje é fabricado o pão para toda a aldeia; o Arquivo Epigráfico onde está a coleção epigráfica romana de Idanha-a-Velha que constitui uma das maiores e mais representativas coleções do país; ou a Ponte de origem romana que atravessa o rio Ponsul.

Deixando esta aldeia para trás, chega-se a Monsanto que foi nomeada em 1938 a Aldeia Mais Portuguesa de Portugal. Esta é uma aldeia muito antiga, pois deteta-se a presença humana desde o paleolítico. O seu ponto mais alto, o cabeço de Monsanto, atinge os 758 metros de altitude. Nesta aldeia é de visita obrigatória a Torre do Lucano ou do Relógio; a casa de Fernando Namora para os apaixonados por literatura; e a igreja Matriz.

Chegado a Sortelha, visite logo a Cabeça da Velha, uma formação granítica que pela sua fisionomia faz lembrar o rosto de uma idosa. Depois não perca a Casa da Câmara e Cadeia, no Largo do Pelourinho, cuja construção remonta ao século XVI e que já foi uma escola primária e agora alberga a Junta de Freguesia. Esta aldeia, considerada uma das mais belas e antigas de Portugal, é vigiada por um castelo do século XIII e mantém a sua arquitetura inalterada.

Se a fome começar a chegar, avance até Belmonte. Depois de se deliciar com um Polvo à Lagareiro, um Bacalhau na Telha ou um Ensopado de Borrego no restaurante Casa do Castelo, parta à descoberta. Belmonte faz jus às duas palavras que lhe terão dado o nome: belo monte. Foi aqui que nasceu Pedro Álvares Cabral e é aqui nesta aldeia situada em plena Cova da Beira que tem uma vista sobre a encosta oriental da Serra da Estrela. Se só tiver tempo para visitar duas coisas, opte pelo Museu Judaico e o Castelo. Não se vai arrepender.

Voltando à estrada, pare em Castelo Mendo. É uma aldeia com características medievais e constituída por dois núcleos amuralhados: a Cidadela e a Barbacã.  Na passagem por esta aldeia, visite a Igreja de São Vicente, a Igreja Matriz e as Ruínas da Igreja Santa Maria do Castelo. Passe também pelas quatro portas da aldeia: a da Guarda, a da Vila, a do Castelinho e a de Dom Sancho.
Conhecida pela sua fortaleza com forma de estrela de doze pontas, Almeida é um dos mais espetaculares sistemas defensivos do século XVII.

Faça as fotografias da praxe no paiol e Casa da Guarda, à frente da Igreja da Misericórdia ou no Revelim Doble / Hospital de Sangue. Se não tiver parado para comer em Belmonte, deixamos aqui a sugestão do restaurante Caçador onde se pode comer um Bacalhau Gratinado e uma Delícia de Requeijão com Mel e Amêndoa.

Para passar uma das noites, pode escolher Castelo Rodrigo. A Casa da Amendoeira, uma habitação tradicional mesmo no interior da muralha, é aposta segura para uma noite tranquila. No dia seguinte, levante-se cedo para não perder a oportunidade de visitar as velhas muralhas, as ruínas do palácio de Cristóvão Mourão, o Pelourinho quinhentista, a igreja matriz ou a cisterna medieval.

Com vários monumentos tanto de arquitetura civil como religioso e militar, Trancoso é um dos mais bonitos centros históricos do país. Enquanto se delicia com uma Sardinha Doce – um doce conventual de Trancoso – passeie pela casa do Gato Preto, pela Barbacã ou pelo Núcleo de Sepulturas Rupestres de São Tomé.

Talvez uma das mais conhecidas das Aldeias Históricas de Portugal seja Piódão. Situada na encosta da Serra do Açor, as casas feitas de xisto e dispostas de forma a aparecer que estão todas a descer pela montanha, valeu-lhe a denominação de Aldeia Presépio. Nesta paragem deve visitar a Capela das Almas ou a Capela de São Pedro, mas se o calor apertar, aproveite para dar um mergulho na praia fluvial.

Com o passeio pelas 12 Aldeias quase a chegar ao fim, em plena Serra da Gardunha, Castelo Novo tem, como as restantes Aldeias Históricas, muito para ver. Visite o castelo, os chafarizes, a lagariça e o cruzeiro. Conheça, assim, em poucos dias mais histórias sobre a História de Portugal.