Ínicio » De Corpo e Alma » Oito perguntas que deve fazer ao seu médico de família

Por vezes, quando vamos a uma consulta, saímos insatisfeitos e a pensar no que ficou por dizer. Colocar corretamente as dúvidas e saber questionar, ajuda a diagnosticar melhor o problema.
A eficácia de uma consulta de rotina também depende de si e das questões que faz ao seu médico. A pergunta certa pode ajudar a compreender eventuais alterações na sua saúde geral mas também a prevenir importantes fatores de risco e patologias no futuro. Com a ajuda da especialista em Medicina Geral e Familiar, Luísa Carvalho, desvendamos as questões que não deve deixar de fazer antes de fechar a porta do consultório.

1 – O que precisa de saber sobre mim?
Os problemas de saúde que tem ou já teve bem como os seus antecedentes familiares são fundamentais para estudar os seus fatores de risco e definir um plano de acompanhamento personalizado, adaptado ao seu perfil.

2 – O meus hábitos de estilo de vida são saudáveis?
Os vários aspetos relacionados com a sua rotina diária como o exercício físico, o peso, o tipo de alimentação e os níveis de stress não devem ser descurados. Esta análise permitirá reduzir fatores de risco e evitar o desenvolvimento de patologias no futuro.

3- Quais são os métodos de planeamento familiar que tenho ao meu dispor?
Não se esqueça que o seu centro de saúde também dispõe de consultas de planeamento familiar, onde poderá abordar os assuntos da sexualidade, como a escolha do método contracetivo ou a preparação de uma gravidez.

4 -Que exames devo fazer?
O Serviço Nacional de Saúde preconiza alguns exames para a deteção precoce do cancro como a mamografia, a colpocitologia e a pesquisa de sangue oculto. No entanto, muitos exames complementares só devem ser realizados na presença de algum fator de risco ou doença. Por vezes, uma boa conversa com o seu médico e um bom exame físico podem ser o suficiente.

5 – Que vacinas devo fazer?
O Plano Nacional de Vacinação (PNV) prevê a administração da vacina do tétano e da difteria em adultos, de 10 em 10 anos. Além disso, existem outras vacinas que, apesar de não estarem incluídas no PNV, podem ser necessárias, em casos particulares. Informe-se com o seu médico.

6 – Devo consultar um especialista?
A especialidade de medicina geral e familiar está preparada para “responder” aos problemas de saúde mais comuns. No entanto, em alguns casos, pode ser necessário o recurso a outros médicos.

7 – Quando devo trazer os meus filhos à consulta?
O controlo do crescimento dos seus filhos é muito importante. O livro de saúde da criança estabelece as consultas de rotina necessárias a cada idade. Respeite-as à risca.

8 – Quando devo voltar à consulta?
Defina com o seu médico a periodicidade das suas consultas de rotina, considerando sempre os fatores de risco, as doenças e as suas necessidades de saúde.

 

Texto Sofia Santos Cardoso

Artigos Similares